Uma coisa é fato, a quarentena forçou muitas marcas a se reinventarem. Foram atualizações, novos produtos, novas formas de entrega de serviço e muito mais.

Baladas fizeram lives com seus DJs, restaurantes estrelados passaram a aderir ao delivery, lojistas criaram seus e-commerces ou aderiram à marketplaces. Todas medidas de diminuir o impacto comercial da falta de circulação de pessoas.

E como você pode, na sua realidade, se modernizar e não ficar para trás? Qual a importância da reinvenção constante? Continue lendo o artigo e descubra.

 

Fechamento total e marco zero

Façamos um exercício de imaginação. Considere que todos os seus concorrentes, no segmento que está inserido, faziam parte de uma corrida. Alguns com carros melhores, outros com uma equipe de mecânicos ágil e, de forma geral, alguns com larga vantagem.

O Covid-19  foi a bandeira amarela e a quarentena o safety car. Agora estão todos estagnados.

Mas o que isso representa na prática? Uma oportunidade de repensar a estratégia, criar um plano de ação, até botá-lo em prática, para que no momento em que o safety car deixar a pista você possa retomar com força total à liderança.

E claro que esse pensamento não será só seu. Seus concorrentes também estão usando este tempo para pensar em estratégias eficientes, afinal quarentena não é férias.

O que fará diferença é a escolha certa, é se a reinvenção que você propõe é aquela que seu cliente precisa.

 

Errar é humano, mas pode ser evitável.

Thomas Edison, inventor americano que desenvolveu a lâmpada elétrica, também pensou numa caneta elétrica. Essa provavelmente você nunca ouviu falar. Ela partia do princípio de duplicar documentos escritos, a fim de replicar em escala. O problema? A competição com as máquinas de datilografar, muito mais práticas de serem usadas.

E não precisamos ir longe no tempo para perceber ideias que não deram certo. Como o Óculos Inteligente do Google, ou Google Glass. Aqui a ideia em si não foi o problema, afinal ele prometia acesso rápido à itens relevantes, como o Maps. O problema foi a execução.

Mas, qual o ponto desse assunto? Ressaltar que o erro fará parte da jornada. O importante é errar rápido e consertar rápido.

E como medir o tamanho do erro? Acompanhando resultados.

 

Clientes estão no mundo online

Acompanhar resultados no século XXI está cada dia mais fácil. As pessoas estão mais conectadas. E cada acesso gera dados.

Usar estes dados é o segredo para acompanhar resultados e medir possibilidades. O Google sabe disso, e por isso cancelou e arquivou seu projeto do Glasses. Talvez Thomas Edson poderia ter perdido menos tempo com sua caneta elétrica no século XIX.

Atualmente, com a quarentena, muitas pessoas foram forçadas a ingressar no online, seja para fazer compras, interagir com os amigos ou manter atividades diárias, como trabalhar de casa.

Tudo isso aproximou um número antes receoso de pessoas com a internet e as interações por meio de telas e teclados.

 

Ações de engajamento e prospecção

Uma oportunidade de muitas empresas também se modernizarem e usarem o mundo online para manter a interação com seus usuários e clientes. O exemplo que usamos das baladas, no começo da publicação, pode ser usada aqui. 

Afinal, clubes e bares estão fechados, mas é importante que seu cliente não esqueça de você, então a saída foram shows online. O mesmo fizeram diversos artistas ao redor do globo.

E todo tipo de interação online continua gerando experiência. A experiência do usuário é importante no mundo online tanto quanto no offline.

Ao mesmo tempo que há o engajamento, a prospecção online também acaba sendo simplificada. Com um clique você manda um vídeo para um grupo no Facebook com 50 mil pessoas ou uma rede próxima no Whatsapp com 100 ou 200 conhecidos.

Esse movimento é importantíssimo para marcas e empresas, afinal as vendas de praticamente todos os segmentos diminuíram, a recessão econômica é notável e cada cliente precisa ser agarrado.

Então, ganhar um cliente por indicação, engajar pessoas à ponto de elas próprias prospectarem novos possíveis clientes, é manobra elogiável. E como fazer? Acertando nas escolhas, nos movimentos e nos momentos. Engajar seu cliente pelo o que ele precisa, entender sua dor, anseios e necessidades.

 

Reinvenção de produtos e serviços

Como mencionamos, a modernização natural ao longo do século XXI somada à modernização forçada por conta do isolamento estimulou mudanças de diversas formas. E vamos citar 3 exemplos.

Em larga escala, o grupo Magazine Luíza, que apesar de forte presença online ainda tira boa parte de sua receita pelas lojas físicas, reinventou seu conceito no marketplace estimulando novos parceiros à aderirem.

Ao troco de uma porcentagem por venda, o grupo Magazine Luíza disponibilizou que empreendedores aderissem ao seu marketplace, ofertando seus produtos no site e no aplicativo da multinacional.

Por outro lado, o vendedor não teria que custear o frete, que será bancado pela plataforma, bem como o transporte. Positivo para ambos e uma reinvenção para muitos lojistas.

Já aplicativos de delivery modernizaram e ampliaram suas soluções de pagamento online para que o contato com o entregador pudesse ser limitado e, com isso, diminuir as possibilidades de contágio. Manobra que foi aceita pelos seus consumidores.

E houve o caso do vendedor de queijos paulista que, por conta do isolamento, resolveu entregar seus produtos na casa dos clientes utilizando a ajuda de um drone.

 

A Solvis durante a quarentena

A Solvis, evidentemente, também precisou se modernizar nesta etapa da economia, oferecendo soluções inteligentes e online para que nossos clientes continuassem a medir a satisfação dos seus próprios clientes. 

Afinal, o consumo não parou, apenas diminuiu ou mudou de forma. E como falamos, todo contato com a marca gera uma experiência, que pode ser positiva, neutra ou negativa. E essa informação é essencial.

Mas, mais do que questionar, é preciso fazer. Assim como nós tomamos ações com base nos dados coletados questionando os clientes Solvis, estimulamos que você faça o mesmo. 

Questione o seu cliente, analise os resultados, tome ações e, o mais importante, continue medindo os resultados após a ação tomada. Não erre por muito tempo, afinal errar é humano, mas persistir no erro… Use os dados ao seu favor para reinventar-se da forma certa.

Entre em contato com a Solvis e nos deixe te ajudar a evoluir!

Contato

Posts Relacionados

QR Code: a tecnologia que veio para ficar no “novo normal”

QR Code: a tecnologia que veio para ficar no “novo normal”

Sua empresa já utiliza o QR Code? Se a resposta é não, seu negócio pode estar ficando para trás. Entenda como, utilizando-o para melhorar a experiência do cliente! O código de barras evoluiu! Um novo recurso gráfico conhecido como QR Code tem se tornado cada vez mais...